segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Valparaíso

No dia seguinte, nossa missão era conhecer Valparaíso e almoçar com um amigo chileno de um amigo da Iraman, no maior estilo blind date mesmo. Pegamos um ônibus na rodoviária de Santiago e, pouco mais de duas horas depois, lá estávamos nós à beira do Pacífico. Antes de mais nada, deveríamos telefonar para o tal amigo e marcar nosso encontro para o almoço, tarefa bem mais difícil do que parece, pois fazer uma ligação local nos orelhões da rodoviária foi uma verdadeira epopéia. Marcamos, enfim, de nos encontrar na entrada do Mercado Central na intenção de degustar a culinária local no lugar mais apropriado pra isso. O problema é que o tal mercado tinha, no mínimo, umas quatro entradas diferentes e, se já era difícil encontrar alguém que a gente sequer conhecia, no meio da multidão era piada. Bom, sabiámos que o cara era barbudo e cabeludo, mas assim também eram os mendigos à volta do mercado... Deu uma certa vontade de fingir um desencontro e sair rapidinho de lá, mas valeu a pena esperar para conhecer nosso host do dia, que nos levou pra dentro do mercado onde tivemos um agradável almoço chileno.


Depois da despedida, seguimos nós três nosso passeio até La Sebastiana, uma das antigas casas de Pablo Neruda e atual museu. Assim como La Chascona, em Santiago, a casa abriga uma vasta coleção de objetos de arte e pessoais de Neruda, assim como livros e escritos do poeta. Fizemos uma visita incrível usando o audioguia, que funcionou melhor que muito guia por aí. O dia estava lindo e a vista de dentro da casa é mesmo deslumbrante! Sabia viver, esse tal de Neruda...


Descemos, passeando a pé por todo o caminho até chegar de volta na rodoviária, já no fim do dia. Mais duas e horas e pouco de estrada e lá estávamos nós no hostel de Santiago fazendo as malas para partir pro Atacama no dia seguinte. Estava na hora de seguir viagem.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget