sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Cavalgada

Nosso último dia em Mendoza começou cedo, quando partimos para o tour mais pitoresco de todos até agora: uma cavalgada pelos áridos arredores da cidade. Digo isso, pois nenhuma de nós tinha lá muita experiência com o esporte e, de fato, nossa intimidade com cavalos se mostrou ridícula. (Para não dizer que eu não tinha experiência em cavalgadas, tive sim duas péssimas experiências: na primeira o cavalo empacou no meio da trilha e eu fui abandonada a própria sorte pelo grupo que me acompanhava; na segunda, o animal pisou no meu pé no momento em que eu ia subir e lá ficou, acidente que me custou a unha do dedão).


Fomos acompanhadas por duas americanas - tão tapadas quanto a gente, ufa! - e pelo Diego, o cavaleiro galanteador que iria nos guiar e, entre uma cantada barata e outra, nos ajudar no que fosse preciso na difícil relação grigas/cavalo. Saímos do estábulo debaixo de um sol forte e seguimos pra bem longe de qualquer sombra, árvore ou brisa, adentrando uma paisagem cada vez mais árida. O clima seco de Mendoza incomodava bastante, principalmente num dia ensolarado como aquele. Os cavalos ficaram comportados até demais - a égua da Marcinha cismava em andar tão devagar que todos os cachorros da região a seguiam felizes, latindo. Diego não se conteve e finalizou aquela cena de cinema cantando "La Cucaracha" com todo seu charme latino/canastrão. Memorável, tenho que dizer!


Tudo correu bem, mesmo quando descemos por alguns minutos para deixar os cavalos descansarem e eu quase dei uma cambalhota tentando subir novamente. O passeio não teve nada de radical como a gente esperava - e temia - mas nossa manhã cavalgando sob o sol forte deu um certo cansaço e merecíamos um tempinho pra relaxar. De volta a Mendoza, paramos na Plaza Independencia, há poucas quadras do nosso albergue, e improvisamos um delicioso piquenique com um bom vinho argentino, biscoitos e azeitonas recheadas compradas nos vinhedos dias atrás. O papo correu solto... e estar entre amigos em um momento simples como esse o transforma numa recordação pra toda vida.


Voltamos pro albergue a tempo de arrumar nossas mochilas e fazer o check-out, já que partiríamos de volta a Santiago naquela mesma noite. Ainda tínhamos tempo de sobra e aproveitamos pra jantar com Phil, nosso companheiro de muitas festas, no recomendado restaurante Quinta Norte. Como o ônibus saída tarde da noite, ainda paramos pra fazer hora no bar do albergue e tivemos a chance de nos despedir de todos os novos amigos já com o coração apertado de saudade. Será que voltaríamos a nos ver? Ou será que cada um deles, que foram tão especiais durante aqueles dias, se tornariam apenas boas lembranças de mais uma viagem?

**************

Restaurante Quinta Norte: Calle Mitre, 1206 - a comida não é de cair o queixo, mas os preços são ótimos!

2 comentários:

Guilherme Dutra disse...

olá, gostaria de sua ajuda,

em outubro estarei indo para mendoza, e pretendo fazer esse mesmo passeio (Cavalgada).
Como fez para contratar o serviço?
precisa contratar com antecedencia?
quanto vc pagou pelo passeio?

Forte abraço

Cissa Ferreira disse...

Olá, Guilherme! Eu fechei esse passeio no próprio Hostel Campo Base. Acredito que o preço seja outro agora, mas se você entrar em contato, eles te dão o preço atualizado. Dá uma olhada no link: http://www.hostelcampobase.com.ar/cabalgatas.asp

Bjo e boa viagem!

Ocorreu um erro neste gadget